Odontologia - procedimentos avançados

Tratamento de canal – tudo o que você precisa saber

Tratamento-de-canal-–-tudo-o-que-você-precisa-saber_-1.jpg

Dor pulsante no dente que pode durar horas e se irradiar por outros dentes, sensibilidade ao mastigar e a temperaturas frias e quentes: estes são sinais de que há um agente agressor no dente, a cárie, provocando uma pulpite – inflamação na polpa. 

A polpa do dente é o tecido mole que contém vasos sanguíneos, nervos e tecido conjuntivo, e está localizada no interior do dente, se estendendo da coroa dentária à ponta da raiz dentária. A raiz dentária está inserida dentro do osso da mandíbula.

Quando a pulpite não é tratada, ela se torna irreversível, ou seja, o tecido pulpar do dente está contaminado pela cárie e, nesse caso, há necessidade de fazer o chamado tratamento de canal – tratamento endodôntico.

O tratamento é feito com a remoção da polpa, a área danificada do dente, por meio de limpeza e desinfecção e, na sequência, são realizados o preenchimento e o selamento.

Se o tratamento de canal não for realizado, a necrose da polpa pode afetar os outros dentes, estendendo-se à raiz do dente, provocando reabsorção óssea e cistos, com graves consequências, como bacteremia, ou a presença de bactérias na corrente sanguínea.

A remoção do dente é a única alternativa, caso não seja feito o tratamento endodôntico. Isso acontecia com frequência antigamente, mas com o avanço das técnicas odontológicas, o tratamento de canal é hoje uma maneira segura de salvar dentes e conservá-los saudáveis.

Etapas

O cirurgião dentista especializado nesse tratamento é o endodontista e há uma série de etapas para o tratamento.

O primeiro passo é a realização de um exame de raios x para verificar com precisão onde a cárie está localizada. Depois, com a administração de anestesia local, uma abertura é feita e a polpa do dente afetado é removida – a pulpectomia. A câmara pulpar e o canal radicular do dente são desinfetados e obturados.

Na sequência, o endodontista insere um material flexível, em forma de cone, em cada um dos canais – o chamado preenchimento. E, para encerrar, o local é selado com um cimento apropriado. Em alguns casos, há a necessidade da colocação de um pino de plástico ou metal no canal para se conseguir maior resistência.

Imediatamente após o tratamento de canal e para se evitar novas contaminações, o dente deve ser restaurado, de forma definitiva, com resinas compostas ou restaurações metálicas fundidas, ou ainda ser feito um recobrimento inteiro do dente, por meio de prótese dentária.

Quando a raiz dentária do dente tratado é nutrida pelos tecidos ao seu redor, o dente permanecerá saudável.

Normalmente, se o procedimento do tratamento é feito em consultório convencional, o tratamento de canal precisa de três sessões. Porém, esse número de sessões vai depender do estado do dente. Nos casos de infecções maiores, podem ser necessárias mais sessões para fazer uma boa limpeza e a descontaminação da câmara pulpar.

É importante saber que um dente restaurado pode durar a vida inteira se o paciente continuar a cuidar dos dentes e da gengiva. Daí, a importância da realização das visitas periódicas ao dentista para receber as orientações e verificar o estado geral da sua boca e sorriso.

{{cta(‘9bde6e33-8fac-421e-baf8-72cc8b612efb’,’justifycenter’)}}

Deixe uma resposta