Rejuvenescimento facial

Rejuvenescimento facial: procedimento cirúrgico e não cirúrgico

rejuvenescimento_facial-1.jpg

Há pessoas que se sentem jovens e ativas, mas não reconhecem a aparência que o espelho lhes reflete. Tudo o que veem ali é um rosto um tanto quanto envelhecido, pés de galinha ao redor dos olhos e da boca e uma testa franzida. A pele parece um pouco flácida provocando aquele indesejável bigode chinês, a perda da linha de definição da mandíbula e o surgimento do temível segundo queixo…

São os sinais inevitáveis do tempo que não excluem ninguém. Mas não pense que isso deva ser definitivo. Felizmente, com o avanço da ciência, existem técnicas, cirúrgicas e não cirúrgicas, que ajudam no rejuvenescimento facial, mantendo o aspecto natural do rosto e trazendo de novo o frescor da juventude.

A questão é que, mesmo sendo algo que afeta a todos, o processo de envelhecimento não é igual para todo mundo. Cada pessoa tem um tipo de pele e, às vezes, o que incomoda primeiro, para alguns, são as rugas e, para outros, a flacidez, ou as manchas.

O fato é que sempre existe um procedimento, ou a combinação entre eles, sob medida para cada pessoa, e um médico especialista poderá indicar a técnica que melhor se ajuste a você.

Os procedimentos cirúrgicos são considerados mais complexos, como a cirurgia plástica facial. Ela é realizada em hospital ou clínicas com centro cirúrgico, com aplicação de anestesia local ou geral e, normalmente, também requer um período de inatividade do paciente para a recuperação do pós-operatório.

Já os procedimentos não cirúrgicos são mais rápidos, realizados em clínicas não tão equipadas e não exigem cuidados pré-operatórios, além de não deixarem cicatrizes. Porém, essa opção é eficaz para pessoas que estão em torno de 30 anos de idade, e o tempo de duração do efeito pode ser menor ou o efeito pode não ser como se espera, dependendo da profundidade das linhas de expressão, por exemplo. Após essa idade, é aconselhável os procedimentos cirúrgicos, que podem ser complementados com preenchimentos, botox ou peelings.

Hoje, há uma série de diferentes tecnologias, equipamentos e produtos que fornecem soluções amplamente satisfatórias, com o benefício de, praticamente, não causarem desconforto algum demandando um tempo mínimo, ou nenhum, de inatividade.

Procedimentos cirúrgicos

O lifting facial e a cirurgia das pálpebras são dois tipos de cirurgia facial que restauram as proporções harmoniosas do rosto, recuperando a tonicidade e a suavidade da pele.

Lifting facial – A técnica remove o excesso de pele do rosto, levantando bochechas caídas, eliminando o excesso de gordura no pescoço e definindo a linha do maxilar. Não é preciso se preocupar com excessos, pois o lifting apenas restaura, valorizando elementos estéticos de uma face mais jovem e não altera a fisionomia.

Plástica de Pálpebras (Blefaroplastia)  – O processo elimina bolsas de gordura, rugas e flacidez em torno dos olhos, melhorando o aspecto das pálpebras superiores e inferiores. Também é indicado para remover xantelasmas – bolinhas de colesterol que se formam nas pálpebras. A cirurgia é feita com anestesia local e deixa uma cicatriz muito discreta.

Procedimentos não cirúrgicos

Por serem menos invasivos, muitas vezes, são os preferidos. Mas engana-se quem acha que, devido à simplicidade, não são eficazes no retardo do envelhecimento facial.

Botox (toxina botulínica) – Indicado para correção de linhas expressão na testa, pés de galinha, lateral do nariz, pescoço e periorbicular. Ao ser injetada nos músculos que causam as rugas, a substância atenua a sua força e, consequentemente, eles deixam de marcar a pele, fazendo as rugas desaparecerem. É uma técnica segura e amplamente usada.

Peeling – Por meio da descamação da pele realizada pela aplicação de produtos, há a consequente renovação celular e o estímulo para formação de colágeno, resultando na melhora da textura da pele, das linhas de expressão não muito profundas e das manchas. O procedimento propicia mais viço e suavidade ao rosto e pode ser feito em qualquer tipo de pele.

Preenchimento facial – De uma forma muito rápida, pode ser feito o rejuvenescimento do rosto de cima até embaixo, conseguindo-se um “minilevantamento”. A técnica visa repor o volume facial perdido com o passar dos anos na maçã do rosto e nos lábios, por exemplo, desaparecendo com os sulcos – depressões. O material mais utilizado é o ácido hialurônico, substância produzida naturalmente pelo nosso organismo, e a durabilidade do preenchimento varia de pessoa para pessoa, mas pode durar entre 9 e 18 meses.

A maioria dos procedimentos de rejuvenescimento facial precisa ser repetida periodicamente a fim de que os benefícios sejam mantidos.

A alternativa mais adequada deve ser escolhida em conjunto com um médico reconhecidamente qualificado e que lhe transmita confiança.

{{cta(’96c609b3-6a2a-42f3-aeee-7303af6ddf5c’)}}

Deixe uma resposta