cirurgia nos seios

Implantar silicone nos seios afeta a capacidade de amamentar?

 Capacidade Amamentar.jpg
Ao decidir fazer uma cirurgia de implante de silicone nos seios, as mulheres se deparam com a dúvida: o procedimento vai prejudicar a capacidade de amamentação?
Essa é uma dúvida comum tanto às mulheres que nunca engravidaram como as que ainda pretendem ter mais filhos. Definitivamente a resposta é “não”.
Próteses de silicone nas mamas não atrapalham a amamentação, que continuará saudável e segura como se não houvesse prótese na região. A dúvida surge porque, muitas vezes, as mulheres não sabem com exatidão o local em que a prótese é implantada.
Cada paciente possui uma estrutura corporal diferente, e a escolha do tipo de procedimento depende disso para que resulte em um seio natural, bonito e firme. O cirurgião plástico é quem deve avaliar e definir a técnica a ser utilizada.
Atualmente, as técnicas estão muito evoluídas e evitam a interferência na glândula mamária; dependendo do caso, a glândula nem é tocada.

Locais para inserção do silicone

Há dois locais para o implante de silicone:
  • atrás do músculo peitoral (prótese submuscular)
  • atrás da glândula mamária (subglandular).
Em ambos os casos, não há possibilidade de interferência na amamentação, uma vez que a prótese estará localizada abaixo do tecido mamário, o responsável pela produção de leite materno. Esse tecido é apenas ‘empurrado’ pela prótese.
Em se tratando de mulheres que são muito jovens ou mais maduras que ainda querem ter filhos, um cuidado é fundamental, evitar a colocação pela região da aréola.
Esta via, embora seja cosmeticamente interessante, danifica os ductos que levam o leite da glândula para o mamilo e pode prejudicar a amamentação. Para pacientes com este perfil o melhor local para a incisão é no sulco abaixo da mama ou na axila.

Um tamanho exagerado pode trazer problemas

Um volume muito grande pode causar uma atrofia no tecido mamário, comprimindo a mama, afetando a produção e circulação do leite.

Vazamento de silicone

Pesquisas mostram que não há diferença entre o leite de mulheres com implante de silicone e o das mulheres sem implante. A prótese fica intacta embaixo da glândula, e depois acaba sendo envolvida por uma cápsula que o próprio corpo produz.
Então, não há como o leite entrar em contato com o silicone. Também não há possibilidade do silicone estourar na amamentação.
As próteses estouram apenas após um trauma forte ou porque estão muito velhas. Para evitar qualquer tipo de risco, os implantes mamários devem ser avaliados com frequência pelo cirurgião plástico.
As próteses antigas exigiam a troca em períodos mais curtos. Hoje, são bem mais resistentes e duram muito mais tempo. Também, antes de se submeter à cirurgia de implante de silicone nas mamas, é importante que o cirurgião plástico faça uma avaliação rigorosa, para definir a técnica mais adequada e o tamanho da prótese condizente com a estrutura corporal da paciente.
Obedecendo tais critérios, o procedimento é muito seguro.

Um Comentário

Deixe uma resposta